Blog Oobj

QR Code CTe e MDFe: principais rejeições

0
Tempo de leitura: 4 minutos

QR Code CTe e MDFe: veja como resolver as principais rejeições



O Manual de Orientação do Contribuinte do CTe 3.00a e o do MDFe 3.00a trouxeram algumas mudanças, como a obrigatoriedade do QR Code. 

A implementação iniciou em 07 de outubro de 2019 e desde dessa data, tornou-se obrigatória a exibição do QR Code no DACTE e no DAMDFe. 



QR Code no DACTe e DAMDFe

O QR Code é um código de barras bidimensional, que tem como objetivo direcionar o usuário para informações específicas, facilitando o acesso. O código pode ser lido através de aparelhos criados para esse fim ou por smartphones e tablets.  

Assim, o QR Code traz mais otimização no processo de transporte, pois torna mais rápida a consulta do CTe e MDFe daqueles envolvidos no cenário. 



Nessa nova versão do manual, o QR Code será impresso no DACTe e DAMDFe, trazendo vantagens também para o Fisco. 

Com a nova inclusão, algumas rejeições podem ocorrer. Abaixo há uma lista com as principais rejeições do QR Code para CTe e MDFe.




Rejeições QR Code no CTe

Rejeição 850: O QR Code do CT-e deve ser informado – Como resolver?

Como dito acima, desde o dia 7 de outubro de 2019, quando não for informada a URL do QR Code no grupo infCTeSupl, ocorrerá a Rejeição 850.

Para resolvê-la é necessário verificar se o software emissor utilizado está apto para a função de gerar o CTe com as informações do QR Code. 

Para verificar a resolução completa acesse a Base de Conhecimento da Oobj.



Rejeição 851: Endereço do site da UF da Consulta via QR Code diverge do previsto

Quando ocorrer a rejeição 851, será necessário informar o endereço de consulta idêntico ao disponibilizado por cada Sefaz.

Para saber mais sobre a Rejeição 851 acesse a Base de Conhecimento da Oobj



Rejeição 852: Parâmetro chave de acesso do QR Code divergente do CT-e 

Se ocorrer divergência entre a chave de acesso do CTe e a do QR Code, ocorrerá a rejeição 852. Para resolvê-la, o parâmetro ‘Chave de Acesso’ do Qr Code, deverá conter os mesmos dados da chave de acesso do Campo ‘Id’ da tag infCte. 

Saiba mais sobre a Rejeição 852 na Base de Conhecimento da Oobj



Rejeição 853: Parâmetro sign não informado no QR Code para emissão em contingência 

Quando for emitido um CT-e em contingência FS-DA (tpEmis=5) ou EPEC (tpEmis=4) e no QR Code não for informado o parâmetro sign, haverá a Rejeição 853. Para solucioná-la é preciso adicionar e preencher o campo sign, veja o exemplo completo na Base de Conhecimento da Oobj



Rejeição 854: Parâmetro sign não deve ser informado no QR Code para emissão Normal 

Quando for emitido um CTe em normal (tpEmis=1) ou SVC (tpEmis= 7 ou 8) e no QR Code for informado o parâmetro sign, haverá a rejeição 854. Portanto, pare resolvê-la é necessário adicionar e preencher o campo sign.

Veja a resolução completa da Rejeição 854 na Base de Conhecimento da Oobj



Rejeição 855: Assinatura do QR-Code difere do calculado – 

Ao emitir um CTe com o tipo de emissão igual a FS-DA (tpEmis=5) ou igual a EPEC (tpEmis=4) e o parâmetro sign ‘assinatura digital’ do QR Code for diferente do valor calculado pela Sefaz, será retornada a Rejeição 855. Saiba como solucioná-la acessando a Base de Conhecimento Oobj




Rejeições QR Code no MDFe

Rejeição 496: Assinatura do QR-Code difere do calculado 

Quando for emitido um MDFe em contingência (tpEmis=2) e o parâmetro sign ‘assinatura digital’ do QR Code for diferente do valor calculado pela Sefaz, será retornada a Rejeição 496. 

Nessa situação, deve-se atentar ao cálculo do parâmetro ‘sign’, que o software emissor está fazendo. Ele é calculado sobre o parâmetro ‘chMDFe‘ que integra o QR Code. Esse parâmetro chMDFe deve estar no padrão RSA SHA-1 (Base64) a partir do certificado digital que assina o MDFe.

Saiba mais sobre a Rejeição 496 na Base de Conhecimento da Oobj.



Rejeição 479: Endereço do site da UF da Consulta via QR Code diverge do previsto 

Para esse caso, a resolução é simples, basta apenas informar o endereço de consulta idêntico ao disponibilizado por cada Sefaz. Confira o exemplo Base de Conhecimento da Oobj



Rejeição 488: Parâmetro sign não deve ser informado no QR Code para emissão Normal 

Quando ocorrer essa rejeição, será necessário adicionar e preencher o campo sign. É possível saber mais  sobre a Rejeição 488 na Base de Conhecimento da Oobj



Rejeição 482: Parâmetro sign não informado no QR Code para emissão em contingência 

Quando emitido um MDFe em contingência (tpEmis=2) e no QR Code não for informado o parâmetro sign, haverá a Rejeição 482.

Para resolver, basta adicionar e preenchê-lo.

Saiba mais na Base de Conhecimento Oobj 



Rejeição 481: Parâmetro chave de acesso do QR Code divergente do MDFe

Para solucionar, basta preencher o parâmetro ‘Chave de Acesso’ do Qr Code com os dados da chave de acesso do Campo ‘Id’ da tag infMDFe. Veja o exemplo na Base de Conhecimento da Oobj



Seu sistema de emissão está pronto?

O volume de atualizações e obrigatoriedades fiscais é alto e é necessário que o software emissor acompanhe todas essas mudanças. O sistema da Oobj já está atualizado com as novas configurações do QR Code. Assim, nossos parceiros e clientes mantêm a operação sempre em dia, evitando complicações. Quer conhecer as nossas soluções fiscais? Acesse: 




QUERO CONHECER


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir para o topo