Descontinuidade do SAP: tudo o que sua empresa precisa saber para se preparar

SAP

O fim do SAP GRC NFE On Premise, agendado para 31 de dezembro de 2025, impacta empresas que dependem do sistema para gerenciar suas operações fiscais.

Com a medida, as atividades de emissão e de recebimento de notas fiscais eletrônicas dos clientes que usam a tecnologia serão impactadas diretamente.

Por isso, confira agora como se preparar para essa mudança e quais são os impactos para a sua empresa:

 O que está sendo descontinuado?

A descontinuidade afeta especificamente os módulos NFe inbound e outbound, do ADDON SAP GRC NFe on-premise, responsável pela emissão e recebimento de Notas Fiscais eletrônicas.

 Por que a descontinuidade está acontecendo?

A legislação tributária brasileira é bastante complexa, com diversos desafios, demandas e mudanças para as empresas da área de tecnologia, tornando o suporte de todas as alterações extremamente caro. 

Em média, o ENCAT gera de 2 a 3 notas técnicas por ano,  exigindo, manutenção dos ambientes, aplicação de patch notes de maneira proativa e correções de base em caso de erros.

E o custo de se realizar este processo em todos os clientes que não estão na nuvem é oneroso, por isso, a SAP optou por descontinuar o módulo on-premise para o módulo NFe inbound e outbound.

Vale mencionar que essa não é apenas a substituição de um software, mas sim, de uma revisão completa dos processos e estratégias de gestão. Processo necessário para garantir o cumprimento das obrigações fiscais e tributárias das empresas.

Ao mesmo tempo, a mudança vem para evitar o risco de multas e autuações do Fisco, em caso de inconsistências de informações. 

Quando a descontinuidade acontecerá?

O suporte ao SAP GRC NFE inbound e outbound será encerrado em 31 de dezembro de 2025. A partir dessa data, o sistema não receberá mais atualizações, correções de bugs ou suporte técnico.

Quais são os desafios da descontinuidade?

A SAP  é a ferramenta mais utilizada no Brasil para a integração e otimização dos processos de negócios.

E uma das principais características do SAP é a segurança nos processos de gestão, sendo a escolha de grandes companhias, principalmente as que desejam ter processos financeiros e fiscais mais consistentes. 

Por isso, as empresas que utilizam o SAP GRC NFE para NFe precisarão encontrar soluções alternativas para:

  • Emissão e recebimento de NFe
  • Armazenamento e recuperação de NFe
  • Monitoramento da legislação fiscal e conformidade
  • Integração com outros sistemas contábeis e fiscais

Além das alternativas citadas acima, será necessário garantir a migração segura dos dados das NFe armazenadas no SAP GRC NFe para a nova solução escolhida.

Além disso, a empresa precisa se manter atualizada sobre as mudanças na legislação fiscal e garantir que a nova solução atenda a todos os requisitos de conformidade, evitar o risco de multas e autuações do Fisco, em caso de inconsistências de informações. 

A nova solução também precisa ser integrada com os demais sistemas contábeis e fiscais da empresa para garantir um fluxo de trabalho eficiente.

O que as empresas podem fazer para se preparar?

A migração dos módulos SAP para as novas soluções pode ter um prazo longo dependendo das complexidades e das customizações existentes em cada cliente.

O ideal é que o planejamento para esta substituição comece o quanto antes, e para isso, é válido: 

  • Avaliar o impacto da mudança: essa etapa envolve a análise dos processos e sistemas que dependem do SAP GRC NFE e identificação dos riscos e oportunidades da mudança.
  • Criar um plano de implementação: definir cronogramas, recursos e responsabilidades para implementar a solução escolhida.
  • Testar e validar:  definição de período de teste para a nova solução antes de colocá-la em produção.

 Quais são as alternativas ao SAP GRC NFE?

O fim do SAP GRC NFe on-premise traz à tona a necessidade de contar com soluções fiscais adaptáveis às demandas da legislação brasileira. 

Por isso, as empresas precisam de ferramentas que se ajustem às frequentes mudanças na legislação, garantindo a conformidade e evitando sanções.

Nesse caso, soluções flexíveis  ​​são essenciais para que as empresas se ajustem rapidamente às novas regras e mantenham seus processos fiscais em dia.

Além disso, é ideal que as empresas iniciem a transição do software SAP NF ainda no segundo semestre de 2024. 

Essa medida pode evitar transtornos como erros na emissão de notas fiscais, operação parada por lentidão, que podem resultar em atraso de faturamento e prazo de entrega, custos adicionais de logística, danos à reputação da empresa, além de risco de multas e autuações do Fisco. 

Diversas soluções alternativas ao SAP GRC NFE estão disponíveis no mercado, cada uma com seus próprios recursos e benefícios. 

E a solução da Oobj de emissão de Notas Fiscais eletrônicas, com integração nativa às RFCs do SAP, é uma alternativa para esse cenário. 

O Oobj DFe é um software completo que te ajuda a reduzir riscos fiscais, garantir a conformidade com as leis e tornar sua empresa mais ética e transparente. 

Com a solução, você tem acesso a diversos recursos que facilitam a gestão fiscal do seu negócio, como:

  • Alta capacidade de processamento
  • Solução flexível
  • Contingência inteligente e automática e Relatórios em PDF, Excel e CSV 
  • Gerenciamento e acompanhamento de todos dos DFes em um único portal
  • Integração total

Com o fim do SAP GRC NFe, é importante se preparar para as novas tecnologias e soluções fiscais. 

Por isso, o Oobj DFe é a solução ideal para te ajudar nessa transição e levar seu setor fiscal para um novo patamar.

Entre em contato conosco e confira como o software pode te ajudar a otimizar a gestão fiscal da sua empresa e garantir sua tranquilidade em relação ao Fisco. 


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *