Blog Oobj

Busca pela privacidade pode causar sérios danos à economia da web

0
Tempo de leitura: 3 minutos

Estudo feito por empresa de análises prevê turbulência na economia da Internet, já que mais de dois terços dos usuários dizem ‘não’ para rastreamento.

Os consumidores digitais ao redor do mundo estão começando a se cansar de ter seus dados pessoais coletados por meio da Internet, diz a consultoria Ovum sobre o impacto comercial da tecnologia e mudanças de mercado em telecomunicações, software e serviços de TI.

Os analistas da indústria global encontraram um cenário ameaçador para a economia da Internet, porque os consumidores procuram novas ferramentas que permitam que eles permaneçam “invisíveis” – não-rastreáveis e impossíveis de serem atingidos por dados.

A última análise feita pela Ovum – Consumer Insights Survey – mostra que 68% dos usuários da Internet de 11 países optariam pelo uso da ferramenta “Do Not Track” (DNT, ou “Não me Rastreie”, em tradução), se ela estivesse facilmente disponível – o que sugere que um “buraco negro de dados” poderá em breve ser aberto na economia digital. Este endurecimento das atitudes dos consumidores, juntamente com uma rígida regulamentação, poderia diminuir as linhas de fornecimento de dados pessoais e ter um impacto considerável sobre a publicidade dirigida, Gestão de Relacionamento com o Cliente (CRM), análise de big data, e outras indústrias digitais.

“Infelizmente, na corrida pelo ouro que é o big data, ter o fornecimento de “pequenos dados” (dados pessoais) como certo é como um acidente esperando para acontecer”, disse o principal analista da Ovum, Mark Little. “No entanto, os consumidores estão sendo capacitados com novas ferramentas e serviços para monitorar, controlar e proteger os seus dados pessoais, como nunca antes, e parece que cada vez mais eles têm motivação para usá-las.”

Os recentes escândalos relacionados à privacidade de dados, tais como o uso dos contatos do WhatsApp e os problemas contínuos do uso de informações nas políticas do Facebook e do Google, têm alimentado as preocupações dos usuários com relação a sua privacidade.

A pesquisa mostra que apenas 14% dos entrevistados acreditam que as empresas de Internet são honestas sobre o uso de dados pessoais dos usuários, o que sugere que será um desafio para as companhias online mudarem as percepções dos consumidores.

A Ovum acredita que as empresas de Internet devam introduzir novas ferramentas de privacidade e campanhas de mensagens destinadas a convencer os consumidores de que elas podem ser confiáveis. Melhorar a transparência da coleta e uso de dados ajudará a construir a confiança – uma mercadoria que será cada vez mais uma vantagem competitiva sustentável.

“As empresas precisam de um novo conjunto de mensagens para mudar as atitudes dos usuários. Essas mensagens devem ser baseadas em relações diretas positivas, envolvimento com os consumidores, e prestação de controles de privacidade genuínos e confiáveis”, comentou Little. “Mas mais importante, os controladores de dados precisam de sentir melhor o rompimento se aproximando de suas linhas de fornecimento, e devem investir em ferramentas que ajudam a compreender o perfil dos atuais usuários insatisfeitos – os consumidores invisíveis de amanhã”

A pesquisa da Ovum consiste em 40 perguntas relacionadas a temas como tendências de comunicação, redes sociais, aplicativos de Internet, TV paga assinaturas e mídia online. O estudo foi desenvolvido com mais de 11 mil participantes de 11 países diferentes em toda a Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul e Central.

Fonte: IDG Now

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir para o topo