Oobj no QCon 2012

0
Tempo de leitura: 3 minutos

O Qcon 2012 foi sem dúvida alguma um dos eventos mais esperados de 2012. O evento ocorreu nos dias 4 e 5 de agosto e trouxe a São Paulo ícones internacionais e nacionais de diversas áreas do conhecimento, com apresentações aprofundadas de alto nível técnico.

A Oobj como sempre faz questão de participar de tais eventos. Na ocasião foi representada pelos profissionais: Danillo Gontijo, Danilo Guimarães e Guilherme Lopes.

 

Da esquerda para a direita: Danillo Gontijo, Danilo Guimarães e Guilherme Lopes.

Os profissionais da unidade de Goiânia ficaram hospedados no Home-Office do grupo na capital paulista.

Esse tipo de evento promove também a integração das equipes do grupo. Em São Paulo os goianos conheceram um dos integrantes da equipe de desenvolvimento da unidade de Porto Alegre. Tiago entrou na empresa dando suporte para Van Oi e hoje está numa das linhas de frente da implantação do Agile na Equipe de Desenvolvimento. Segundo ele, a equipe toca cerca de 5 produtos/serviços em paralelo e é composta por 12 desenvolvedores. Eles estão se organizando para participar do Agile Brazil 2012, que ocorrerá em setembro na cidade de São Paulo.

O evento

O QCon foi realizado no Fecomercio, um grande centro de eventos localizado na Av. 9 de Julho.  O local possui um gigante hall no térreo. No primeiro andar tem uma sala imensa que se divide em três e no segundo andar o Teatro Raul Cortez.

 

Hall no térreo onde foram montados os stands, a bancada de recepção e servido o buffet.

A organização estava impecável. Apenas alguns probleminhas  incomodaram alguns dos participantes no primeiro dia(inclusive o que vos escreve): a falta de IP’s na rede Wifi e a escassez de lixeiras. Mas no segundo dia esses dois problemas estavam praticamente resolvidos .

As palestras mais esperadas do evento [ Martin Fowler (Thougworks), Ben Christensen (Netflix), Tom Soderstrom  (NASA) e Zach Holman (Github) ]ocorreram na sala três-em-um do primeiro andar.

 

Sala lotada na palestra do Martin Fowler, uma das mais aguardadas do evento. Ele falou sobre padrões de design e metodologias ágeis.

O nível técnico das palestras e dos palestrantes estava muito alto. Evento com padrão internacional mesmo. Algumas das palestras tiveram tanta procura que foram repetidas após o horário previsto para o término do evento, pois não cabiam mais pessoas na sala e muitas ficaram de fora.

 

Mural para feedback dos participantes sobre o evento: “Como podemos melhorar?” e “O que está legal?” são as duas lanes desse board.

A organização se preocupou em disponibilizar uma bancada com tomadas para que os participantes pudessem carregar seus eletrônicos, como celular e notebooks.

 

Cena rara: bancada das tomadas vazia.

As palestras

As palestras foram divididas em oito trilhas, sendo quatro trilhas por dia. A trilha nada mais é do que um tópico específico, mas que possui amplas possibilidades de discussão. Seguem as oito trilhas:

– Arquitetura no Cloud
– Desenvolvimento Mobile
– Frontier do desenvolvimento: recursos novos para resolver problemas velhos
– Agile depois do mainstream
– Desafios no Java e na JVM
– Startups: Aprenda com quem deu certo
– Web no estado da arte (HTML5, CSS3 e maneiras de chegar lá)
– Arquiteturas que você sempre quis conhecer
As trilhas que mais atraíram espectadores foram as de Agile e Startups. A maioria das palestras eram baseadas em discursos de gerentes de projeto e/ou donos de empresa, contando suas histórias de como se deram bem (ou não) no mercado de software e como conseguiram contornar os problemas mais freqüentes.

Ao final de cada palestra havia um sistema de avaliação, no qual cada participante deixava um cartão dentro de uma caixa: verde para boa, amarelo para regular e vermelho para ruim.

Por: Danilo Guimarães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *