NFCe: Migrar agora ou esperar a obrigatoriedade?

0
NFCe: Migrar agora ou esperar a obrigatoriedade? Tempo de leitura: 3 minutos

Saiba quais são as vantagens e desvantagens da migração e veja se começar a emitir a NFCe antes da obrigatoriedade é o melhor para você.

 

A Nota Fiscal do Consumidor eletrônica (NFCe) é o documento digital que veio para substituir o cupom fiscal. A proposta da nota é modernizar o varejo e trazer mais facilidades tanto para o empresário quanto para clientes.

Muitos estados já aderiram ao projeto e possuem calendários específicos para a obrigatoriedade do documento. Mas e para você? Compensa mesmo migrar para NFCe agora ou é melhor aguardar a obrigatoriedade?

Vamos te ajudar a descobrir o que é melhor:

 

Avalie o que é melhor: migrar agora ou esperar

A nota do consumidor se propõe a desburocratizar o processo de emissão  de documentos fiscais tornando todo o processo digital. Além disso, diferente do ECF, para a NFCe não é necessário o uso de um equipamento especial para a impressão da nota.

O documento possibilita também o acesso a informações da NFCe através de diversos dispositivos (computadores, celulares, tablets). Outra vantagem é que ele é considerado de maior segurança fiscal do que o ECF.

 

Confira as Vantagens da NFCe

A NFCe traz vantagens não só para o Fisco, mas também para os empresários e para o consumidor. Empresas que decidem adiantar-se na adesão tem a vantagem ter mais tempo para preparar o ambiente e treinar a equipe.

Além disso, a economia a longo prazo é significativa. Com a NFCe não é mais necessário adquirir impressoras fiscais e o caixa pode ser aberto a qualquer momento, ou seja, você não fica parado.

O consumidor também recebe vantagens, por isso a tendência é de que cada vez mais eles adequem ao novo modelo. Com a NFCe o consumidor pode consultar se a nota é válida direto na internet e não precisa guardar o documento físico.

A nota também pode ser usada como crédito no imposto de renda, além de agilizar o atendimento em lojas físicas.

Antecipar-se ao projeto possibilita a busca do emissor que atenderá da melhor maneira às suas necessidades. Afinal, ter tempo é fundamental para analisar diferentes propostas e corrigir possíveis falhas, assim você evita imprevistos e não gasta mais do que o planejado.

 

Desvantagens de aderir a nota do consumidor antes do prazo

Caso a NFCe seja obrigatória no seu estado o ideal é estar preparado o quanto antes para evitar transtornos. Sem ela você pode ter problemas, como por exemplo:

  • não poder emitir a nota fiscal;
  • equipe sem treinamento, perdendo tempo no atendimento ao usar a nova tecnologia;
  • receber multas referentes a perda de prazos.  

Porém, uma desvantagem do novo modelo é que alguns estados possuem particularidades que devem ser pesquisadas antes da adesão. No caso do Ceará ou São Paulo, por exemplo, o modelo a ser utilizado é o MFe e SAT respectivamente, ambos necessitam de um equipamento específico.  

P.S.: É bom saber que a NFCe precisa de conexão com a internet para que transmissão do documento para a SEFAZ ocorra. Também não é possível a emissão de alguns eventos exclusivos para NFe, como a carta de correção.

 

Então, devo migrar agora ou não?

Agora que você já conhece as vantagens e desvantagens do projeto é importante verificar se você atende aos requisitos do seu estado para a adesão e buscar emissores que atendam as suas necessidades.

Com o Oobj NFCe, por exemplo, é possível gerenciar e centralizar todas emissões de notas de todos os seus PDVs e lojas. A solução tem capacidade de processar dezenas de documentos por segundo e permite o monitoramento em tempo real todo o processo de emissão. Outra funcionalidade do emissor é que caso a sua conexão com a internet falhe, é possível emitir em contingência.

Quer saber mais sobre a emissão da NFCe e como podemos te ajudar isso?
Fale com um de nossos consultores!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *